Posts tagged "Século XX"

Terceira versão de um retrato, ca. 1825: 1937 & 2017

Salve!

Como publiquei anteriormente, em longa explanação sobre o retrato [misterioso] do Marechal José de Abreu, Barão do Serro Largo, vim a colorizar em retrato em bico-de-pena de 1937, ilustrado por João Faria Viana e publicado no Nobiliário Sul-Riograndense, de Mário Teixeira de Carvalho.

 

O retrato a óleo, parte do acervo do Museu Júlio de Castilhos, em Porto Alegre. Faltam pixels, mas não cores.

 

O retrato em bico de pena de João Faria Viana, 1937. Faltam cores, mas não pixels.

 

Não havia porque não dar ao segundo retrato as cores do primeiro. Foi o que fiz:

 

A fusão dos dois retratos acima – que saiu melhor que a encomenda – é um humilde oferecimento desta, que vos escreve.

 

Assim, sem mais delongas, me despeço

 

helga

~Helga.

Em destaque, versões: original, a óleo, ca. 1825 (?); em bico-de-pena, 1937; e photoshop, 2017.

Pelas ruas de Berlim: Stolpersteine

Salve!

 

Caminhando pelas ruas de Berlim, não se pode deixar de notar as Stolpersteine(no singular: Stolperstein).

1200px-Stolperstein_Else_Liebermann_von_Wahlendorf_Berlin_Budapester_Strasse

Foto: “Pedra-obstáculo em Berlim. Axel Mauruszat – Obra do próprio”. Wikimedia Commons.

Elas estão por tudo e marcam lugares onde viveram ou trabalharam vítimas da discriminação, perseguição, deportação e extermínio das minorias. A maior parte das Stolpersteine lembra a vida de vítimas do Holocausto, mas existem também Stolpersteine que homenageiam os ciganos Sintie Roma, integrantes da resistência política ou religiosa, homossexuais, Testemunhas de Jeová e pessoas declaradas “anti-sociais”.

Tive a sorte de presenciar a instalação de algumas delas na nossa vizinhança. A cerimônia de entrega das Stolpersteine é anunciada assim:

Convite para a entrega de dez Stolpersteinen na vizinhança, que tive a sorte de encontrar na porta de casa. Foto: direto do celular da Helga.

Convite para a entrega de dez Stolpersteine na vizinhança, que tive a sorte de encontrar na porta de casa. Foto: direto do celular da Helga. Berlim, 11 de maio de 2016.

Pego no ato: o artista Gunter Demnig, instalando Stolpersteine desde 1996. Em maio deste ano, quando esta foto foi tirada, o projeto completa 20 anos.

20160512_091026

O artista Gunter Demnig instala as Stolpersteine dos Klausner. Feuerbachstraße 13, Berlim. 12 de Maio de 2016. Foto: direto do celular da Helga, esta que vos escreve.

 

Para quem pára e pensa, as Stolpersteine são uma janela interessantíssima para o passado. Imagine a sorte grande de um genealogista, ao encontrar o nome de um antepassado em uma dessas pedras de metal. De uma certa forma, lendo o destino de cada representado em uma Stolperstein, imagina-se o drama impensável de uma era.

Os destinos mais surpreendentes se revelam, desde famílias que acabaram exterminadas por completo em algum campo de concentração, até famílias que escaparamcom todos os seus integrantes, e todas as possibilidades pensáveis entre estes extremos. Vislumbra-se o absurdo doloroso de tantas famílias separadas, nas quais alguns entes encontraram, por mais difíceis e perigosos que fossem, seus meios de fuga, enquanto outros, sem a sorte ao seu lado, não.

— ∞ —

jiji

Recém instaladas no cimento fresco, as Stolpersteine costumam ser adornadas de flores no primeiro dia. Feuerbachstraße 13, Berlim. 12 de Maio de 2016. Foto: direto do celular da Helga, esta que vos escreve.

Acima, os Klausner – Feuerbachstraße 13, Berlim

Markus e Ester Klausner, ambos com cerca de 68 anos em 1942, foram naquele ano deportados e assassinados no campo de concentração de Treblinka, no leste da Polônia. Um ano depois, em 1943, duas pessoas que parecem ser seus filhos, com cerca de 42 e 30 anos, foram deportados e assassinados em Auschwitz.

— ∞ —

Mais adiante, no mesmo momento, estavam recém instalados

A família Buck, Siegfried Kniebel e Minna Epstein – Feuerbachstraße 9, Berlin

20160512_095132

Feuerbachstraße 9, Berlim. 12 de Maio de 2016. Foto: direto do celular da Helga, esta que vos escreve.

Cada um dos três integrantes da família Buck teve um destino diferente. Pai e filho, judeus de origem polonesa, com 53 e 15 anos, foram expulsos na “Polenaktion” em outubro de 1938. Os deportados não foram aceitos na Polônia, deixando-os em uma terra de ninguém no extremo leste da Alemanha por vários meses. Somente em 1939 o filho obteve um meio de transporte para menores (Kindertransport) para a Inglaterra. O pai conseguiu retornar e fugir para a Itália, e finalmente para a França, em 1940, permanecendo vivo, mas vivendo em segredo. A mãe escapou para a França, mas foi detida no campo de deportaçãoDrancy durante a ocupação nazista, sendo deportada e assassinada em Auschwitz em 1942, com cerca de 48 anos.

Siegfried Kniebel foi prisioneiro no campo de concentração Sachsenhausenem 1938, sozinho, aos 55 anos. Deportado para Auschwitz em março de 1943, e assassinado no mês seguinte, aos 60 anos.

Minna Epstein, casada ou viúva, foi deportada sozinha para o campo de concentração de Riga (Letônia) em 1942, e assassinada após 3 dias, aos 53 anos.

 

***

As Stolpersteine estão espalhadas pelo mundo e são consideradas o maior monumento descentralizado do mundo.

Às vezes, a beleza de lembrar deixa um gosto amargo.

— ∞ —

Um pequeno grupo homenageia

Um pequeno grupo homenageia os 5 nomes. Feuerbachstraße 9, Berlim. 12 de Maio de 2016. Foto: direto do celular da Helga, esta que vos escreve.

— ∞ —

Update

Das Stolpersteine por que passo todos os dias, essas são as que primeiro notei:

kokokoo

Stolpersteine da família Glasstein: pai e mãe, aos 39 anos, e filho, aos 12 anos, escaparam juntos para a Palestina, em 1934. Eu tive uma foto dessas pedras no dia da instalação, que misteriosamente se perdeu. Kreuznacherstraße 9, Berlim – em 27 de maio de 2016. Foto: direto do celular da Helga, esta que vos escreve.

– – – ♥ – – –

Att,

helga~Helga.

Compilação inacabada de Nomes curiosos, ∞ H ∞

Salve!

Esta é a oitava de uma série de postagens em Extra!, dedicadas a desenterrar alguns nomes encontrados no Garimpo. Navegue pela página principal – Nomes curiosos de A a Z, ou use a barra de navegação no menu lateral.

Mas primeiro, inicio com este

∞ Aviso aos navegantes ∞

Eu, tu, eles jamais pretendeu ofender. É possível que um nome que pertença a algum ente muito querido de algum leitor tenha-me parecido divertido por um ou outro motivo. Alguns nomes são descritos com uma pitada de bom-humor, outros com alguma dose de estupefação que a nada se deve, senão à minha ignorância : )

Por favor, respirem, relaxem e relevem!

~ Grata pela compreensão

• • • ♦ • • •

Para ⇑ ∞ G ∞ ⇑

• • • ♦ • • •

∞ H ∞

∞ Heluza ∞
Screen Shot 2016-05-15 at 18.35.01

Link – clique aqui

Porto Alegre, 1912.

∞ Helvina ∞
Screen Shot 2016-05-15 at 18.38.17

Link – clique aqui

Belém Velho, Porto Alegre, 1875.

∞ Hilário ∞
Screen Shot 2016-05-15 at 18.40.27

Link – clique aqui

Porto Alegre, 1914.
Espero que não seja só eu quem não consegue evitar de pensar neste emoji quando vê o nome:

MORRI!

MORRI!

∞ Homero ∞
Screen Shot 2016-05-15 at 18.52.34

Link – clique aqui

Porto Alegre, 1914. Impossível não pensar em uma odisséia.

0-a-odisseia

Ilustração para a Odisséia de Homero. Encontrada em Livros-Digitais.com.

∞ Honor ∞
Screen Shot 2016-05-15 at 20.06.08

Link – clique aqui

Porto Alegre, 1895.

Encontrado sem muita frequência, Honor aparece também em nomes compostos, às vezes hifenado, como por exemplo em Cláudio-Honor (ou Claudionor, simplesmesnte). O Honor deste registro de casamento tem como sobrenome um nome que é também próprio: Camilo.

∞ Horácio ∞

 

Screen Shot 2016-05-15 at 20.11.37

Link – clique aqui

Quem mais pensou, levanta a mão:

jiojioio

O Horácio da Turma da Mônica, de Maurício de Sousa.
Imagem encontrada em Rika.com.br.
∞ Hormira ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Hormira seja talvez o mais incomum dos nomes terminados em -mira do meu repertório, como Belmira, Palmira, Zulmira e Ramira, entre outros.
Porto Alegre, 1913.

∞ Hygino ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

São Borja, 1873.

• • • ♦ • • •

Para ⇓ ∞ I ∞ ⇓

• • • ♦ • • •

E para encerrar, um

∞ Segundo aviso aos navegantes ∞

As compilações estão em constante crescimento e sujeitas a alterações sem aviso prévio.

— ∞ —

monogramas

Att,

helga~Helga.

Compilação inacabada de Nomes curiosos, ∞ G ∞

Salve!

Esta é a sétima de uma série de postagens em Extra!, dedicadas a desenterrar alguns nomes encontrados no Garimpo. Navegue pela página principal – Nomes curiosos de A a Z, ou use a barra de navegação no menu lateral.

Mas primeiro, inicio com este

∞ Aviso aos navegantes ∞

Eu, tu, eles jamais pretendeu ofender. É possível que um nome que pertença a algum ente muito querido de algum leitor tenha-me parecido divertido por um ou outro motivo. Alguns nomes são descritos com uma pitada de bom-humor, outros com alguma dose de estupefação que a nada se deve, senão à minha ignorância : )

Por favor, respirem, relaxem e relevem!

~ Grata pela compreensão

• • • ♦ • • •

Para ⇑ ∞ F ∞ ⇑

• • • ♦ • • •

∞ G ∞

∞ Galdino ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Casou-se em Porto Alegre, 1896.

∞ Garibaldi ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Com altíssima probabilidade de ter-se inspirado no célebreGiuseppe Garibaldi.
São Borja, 1877.

Giuseppe Garibaldi, 1866. Wikimedia Commons.

∞ Gasparina ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Feminino de Gaspar, pouco utilizado. Porto Alegre, 1912.

∞ Gersumina ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Raro!Belém Velho, Porto Alegre, 1859.

∞ Gaudêncio ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Logo pensei emGaudêncio Sete Luas. Encruzilhada do Sul, 1884.

vinil-compacto-cantos-de-gaudencio-7-luas

Cantos de Gaudêncio 7 Luas. Via MercadoLivre.com.br.

∞ Godofredo ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Acho que nunca foi um nome bem popular, mas está cada vez mais em desuso. Este
Godofredo Casou-se em Porto Alegre, em 1898.

∞ Godinho ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Um nome quase esquecido. Porto Alegre, 1876.

• • • ♦ • • •

Para ⇓ ∞ H ∞ ⇓

• • • ♦ • • •

E para encerrar, um

∞ Segundo aviso aos navegantes ∞

As compilações estão em constante crescimento e sujeitas a alterações sem aviso prévio.

— ∞ —

monogramas

Att,

helga~Helga.

Compilação inacabada de Nomes curiosos, ∞ F ∞

Salve!

Esta é a sexta de uma série de postagens em Extra!, dedicadas a desenterrar alguns nomes encontrados no Garimpo. Navegue pela página principal – Nomes curiosos de A a Z, ou use a barra de navegação no menu lateral.

Mas primeiro, inicio com este

∞ Aviso aos navegantes ∞

Eu, tu, eles jamais pretendeu ofender. É possível que um nome que pertença a algum ente muito querido de algum leitor tenha-me parecido divertido por um ou outro motivo. Alguns nomes são descritos com uma pitada de bom-humor, outros com alguma dose de estupefação que a nada se deve, senão à minha ignorância : )

Por favor, respirem, relaxem e relevem!

~ Grata pela compreensão

• • • ♦ • • •

Para ⇑ ∞ E ∞ ⇑

• • • ♦ • • •

∞ F ∞

∞ Felicidade Perpétua ∞

O nome dela era Felicidade Perpétua do Nascimento. Ou esta mulher estava predestinada à felicidade eterna desde que nasceu, ou teve que rir do próprio nome. Casada em São Miguel, Biguaçu, Santa Catarina, em 1812.

link

Link – clique aqui

∞ Felício ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Catedral de Porto Alegre, 1912.

A Felícia do Looney Tunes dispensa apresentações e tem várias xarás, em várias épocas. Já o nome Felício,na sua versão masculina, é encontrado mais raramente. Este nome próprio aparece também como sobrenome, como exemplifica o jogador de basquete mineiro Cristiano Felício:

legenda

Conhecido pelo sobrenome, Felício atualmente joga no Chicago Bulls e NBA. Foto: data e autor desconhecidos, encontrada em PousoAlegre.net.

∞ Felisberto ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Felisberto é mias um nome terminado em -berto que caiu na obscuridade, como Adalberto e Dagoberto, entre outros. Este é de Porto Alegre, 1877.

∞ Filandro ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

São Borja, 1872.

∞ Fileto ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Fileto? Sim, isso mesmo. Fileto. São Borja, 1872.

∞ Florentino ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Florentina já é um nome pouco usado atualmente, e a versão masculina me parece bem perdida no esquecimento. Este Florentino foi um soldado paulista falecido aos 24 anos em 1819, Porto Alegre.

∞ Floresbela ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Um nome bonito para uma história triste: Floresbella, exposta, faleceu aos 15 dias.
Porto Alegre, 1819.

∞ Florina ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Florina foi o nome de uma pequena escrava batizada em Belém Velho, Porto Alegre, 1871 – menos comum outros derivados de Flor, como Florinda e Florisbela, por exemplo.

∞ Franklin ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Não me surpreenderia o estrangeirismo se não fosse pela data – 1873, São Borja.

∞ Franquelino ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Uma versão aportuguesada do nome acima. 1871, Belém Velho, Porto Alegre.

∞ Frontino ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Frontino? OK! Porque não? 1898, Arrabalde de Belém Velho, Porto Alegre.

∞ Fructuoso ∞
Link - clique aqui

Link – clique aqui

Nome antigo com o qual já cruzei várias vezes. Este é de São Borja, 1873.

• • • ♦ • • •

Para ⇓ ∞ G ∞ ⇓

• • • ♦ • • •

E para encerrar, um

∞ Segundo aviso aos navegantes ∞

As compilações estão em constante crescimento e sujeitas a alterações sem aviso prévio.

— ∞ —

monogramas

Att,

helga~Helga.