Salve!

◊ Este é um registro do momento, destinado às minhas filhas, no futuro. ◊

“Brasil:
O último que ficar apague a luz.”

Esta frase genial não é minha: veio do meu irmão, com seu humor ácido e peculiar.

(E este tio de vocês é, minhas filhas, de um humor irresistível, afiado, mesmo que cada riso seja ao mesmo tempo um leve golpe no estômago).

Queria dizer para minhas filhotas, minhas bonecas, sendo criadas aqui no conforto do velho continente, algo sobre a nação de onde vieram seus pais. A nação que eu ainda considero minha:

♣ A Terra Brasilis!…

… em 2016:

Estava o país inteiro assolado por muitos males. Mas o pior deles era a incompreensão deliberada. (Ou como colocaria a filósofa Márcia Tiburi: “a burrice“).

Era um ímpeto raivoso de destruição das diferenças, de desqualificação do discurso alheio, de desrespeito, de ignorância, truculência, violência, de raiva. Quando digo raiva não pretendo ilustrar uma raiva qualquer, mas sim a raiva doentia de um cachorro louco.

Data e autor desconhecidos. Encontrado em SetPanoramico.com.br

Data e autor desconhecidos. Encontrado em SetPanoramico.com.br.

… E o Brasil feito de cachorros loucos

Não era mais o Brasil que eu conhecia.

Não era um Brasil que se compreendia. Não era um Brasil com o qual havia qualquer diálogo.

Havia crise econômica (dessa já havíamos visto, e tantas), uma crise política (como não se houvera antes visto), uma crise social (como não seria possível imaginar – e não estou exagerando). Havia Zika, havia a perspectiva de vexame ao sedear os Jogos Olímpicos, havia Lava Jato, Odebrecht, Panama Papers, e um processo de impeachment vergonhoso pelo seu caráter absolutamente maquiavélico. Porque na prática não existiam mais regras, exceto uma:

…os fins justificam os meios.

Havia coxinha e pão com mortadela, e milhares e milhões de brasileiros, saindo às ruas ou de vermelho ou com a camisa da CBF (este símbolo de moral ilibada). Havia panelaço e mortadelaço, havia mentiras, havia memes, havia meias-verdades e sobretudo, havia briga. Havia uma política futebolizada, onde não cabia qualquer racionalidade.

 

SEM CHANCE (Vide o longa Carandiru). Foto encontrada em DonoDaBola1903, "Um Boi Sem Chance".

SEM CHANCE (Vide o longa Carandiru, 2003). Foto encontrada em DonoDaBola1903, “Um Boi Sem Chance”. Data e autor desconhecidos.

 

E havia, é claro, desespero, incerteza e incredulidade, pelo modo como essa avalanche rapidamente se desenrolava a olhos vistos, e não se poderia prever quanta destruição este desmoronamento causaria.

Havia também, como não poderia nunca faltar no Brasil – havia Humor. Uma pontinha de orgulho, algo que era para mim extremamente reconfortante advinha do contato com este Humor, que me fazia lembrar do Brasil a que eu pertencia.

 

Reunião de Energência 3, A Delação 2. Porta dos Fundos, 2016.

Reunião de Emergência 3, A Delação 2. Porta dos Fundos, 2016. Capturado por Helga.

Eu coloquei vocês para dormir, minhas filhas, saí de fininho, e apaguei a luz.
♥ ♥ ♥
Chico Buarque de Orlando, de Marcelo Adnet. "Pao, parcela pra mim esse Nike". Rede Globo, 2016.

Chico Buarque de Orlando, de Marcelo Adnet. “Pai, parcela pra mim esse Nike”. Rede Globo, 2016.

Att,

helga~Helga.

 

 

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.